Afinal, você sabe o que é DVR e NVR?

Você certamente já ouviu falar do DVR (gravador de vídeo digital) ou do NVR (gravador de vídeo em circuito de rede) em serviços de câmeras de segurança. Em um sistema de videomonitoramento analógico, a gravação das imagens acontece em um computador ou DVR/NVR instalado diretamente no local. 

Mas você conhece suas particularidades? Listamos abaixo um pouco do conceito dos dois tipos de gravadores e quais são suas principais características. Confira a seguir!

DVR e o NVR em sistemas de câmeras de segurança

Existem no mercado duas opções de armazenamento local para os sistemas de segurança de circuito fechado de televisão (CCTV): o DVR e o NVR. Os dois dispositivos são semelhantes, pois ambos fazem a captura de imagens de vídeo. No entanto, eles têm diferenças nas configurações, compatibilidade de câmera e no processamento dos dados.

O DVR faz a conversão dos sinais das câmeras de segurança analógica para um formato digital visível que pode ser armazenado em um disco rígido. Já os gravadores de vídeo são conectados às câmeras analógicas através de cabos coaxiais, o que significa que todas as gravações são processadas e armazenadas localmente e que eles não são conectados a uma rede da mesma maneira que os sistemas mais modernos.

Desvantagens dos sistemas de câmeras com DVR e NVR

  • Evolução da tecnologia

Os sistemas de segurança tradicionais que usam DVR e NVR acabaram ficando obsoletos. Na compra do sistema, eles podem até apresentar recursos bem robustos, mas que podem ficar defasados ao longo do tempo, principalmente ao pensarmos na evolução da tecnologia atual. As atualizações podem se tornar cada vez mais frequentes e podem exigir um suporte técnico especializado mais frequente para fazer manutenção.

  • Segurança comprometida

As imagens geradas pelo DVR e NVR são gravadas em discos rígidos que podem apresentar falhas e te deixar na mão justamente no momento em que você mais precisa. Na maioria das vezes, a identificação das falhas vai acontecer justamente naquela hora em que for acionada uma ocorrência de roubo ou furto no espaço monitorado.

Sem contar que os equipamentos DVR e NVR podem ser mais facilmente furtados, sabotados ou danificados. Todo o investimento em infraestrutura do seu sistema de câmera de segurança pode acabar sendo perdido e você certamente não quer isso.

  • Falta de flexibilidade

Tanto os sistemas DVR quanto os NVR necessitam estar localizados perto de uma fonte de energia. Desse modo, as empresas contam com opções limitadas de locais para instalá-los. As gravações também precisam ser continuamente revistas já que que os gravadores de segurança DVR e NVR não utilizam conexões de rede.

Ao contrário dos sistemas NVR, que podem ser configurados sem fio, os sistemas DVR necessitam de conexões de cabo coaxial e fiação pesada. Esses cabos são grandes, difíceis de instalar em espaços apertados, não suportam áudio e não conseguem fornecer energia. O que fará com que seja preciso instalar fios extras para garantir o sucesso da operação das câmeras.

  • Baixa qualidade da imagem

Apesar dos sistemas de câmeras com DVR ou NVR serem mais baratos que as opções de câmeras inteligentes, eles geram imagens com uma qualidade muito menor. Vale avaliar se a empresa realmente precisa sacrificar a economia de custos no orçamento para ter menos clareza e detalhes na gravação das imagens. Para quem quer proteger seu negócio, a alta resolução das imagens certamente fará a diferença na proposta de valor do serviço.

Por que optar pela câmera de segurança em nuvem?

A tecnologia de câmeras inteligentes com armazenamento em nuvem é um conceito moderno nos serviços de vigilância. O DVR / NVR é substituído por um nanocomputador, também conhecido como Raspberry Pi, um pequeno aparelho de 10 centímetros que faz a transmissão das imagens de forma segura e criptografada para a nuvem. E assim, por meio do software de câmeras em nuvem, o usuário tem acesso à gravação de vídeo, armazenamento ilimitado das imagens, navegação pelo histórico, alertas inteligentes, visualização remota por logins diferentes e segurança cibernética. Além disso, todos os acessos são seguros e não consomem a banda de internet da empresa.

Fato é que todo o mercado de segurança está migrando para um sistema inteligente na nuvem. E você, onde está nesta grande transformação? 

Saiba mais sobre o sistema de Câmeras Inteligentes da Gabriel e prepare-se para dar adeus ao seu DVR / NVR.

4 problemas mais comuns dos sistemas de CCTV (e como fugir deles)

Você já deve ter ouvido falar dos sistemas de CCTV quando o assunto é vigilância, afinal é um dos sistemas mais antigos de segurança e ainda bastante utilizado no mercado. Está presente em escolas, universidades, laboratórios e empresas dos mais diferentes segmentos.

Mas afinal, o que é o CCTV?

O CCTV nada mais é do que um circuito interno de televisão, closed-circuit television, também conhecido pela sigla CFTV (Circuito Fechado de Televisão). Um sistema de televisão capaz de distribuir sinais de câmeras localizadas em pontos estratégicos para a gravação de imagens, sendo bastante utilizado em serviços de monitoramento interno. 

Normalmente, o CCTV faz a gravação das imagens através de um aparelho chamado DVR (Digital Video Recorder). Por ser um sistema analógico, o CCTV faz a transmissão das imagens em monitores específicos através de um cabo coaxial para os antigos monitores CRT. A transmissão ocorre apenas para pessoas autorizadas, daí o nome de circuito interno/fechado. 

Mas o mundo evoluiu, ainda bem. Com as novas tecnologias, os circuitos internos puderam então se transformar e hoje já é possível monitorar seu espaço com um sistema digital mais simples, inovador e seguro. Confira os 4 problemas mais comuns dos Sistemas de CCTV e como fugir deles adotando um sistema digital.

Sistema Digital x Analógico

No mercado atual existem dois tipos de sistema de monitoramento, o analógico e o digital. E uma das diferenças mais nítidas entre os dois sistemas é a qualidade da imagem. A qualidade é muito superior com o sistema digital pela utilização de câmeras com tecnologia IP, que já têm uma placa de rede interna e por isso se conectam automaticamente à internet através de um cabo de rede. Os sistemas digitais eliminam também a necessidade do DVR / NVR, utilizando um nanocomputador (raspberry pi) para fazer o armazenamento das imagens na nuvem e permitir o acesso seguro de qualquer lugar, de maneira remota. 

Apesar de ainda ter um grande espaço no mercado, o sistema analógico está ficando cada dia mais obsoleto. Sem dúvidas, a grande tendência do setor é migrar para o digital e poder contar com as diversas tecnologias que ele proporciona, como o reconhecimento facial e o uso de inteligência artificial para a proteção da seu negócio.

Os 4 problemas mais comuns do CCTV resolvidos no sistema digital

  1. Baixa qualidade de Imagem

O CCTV tradicional é bem conhecido por ser um sistema analógico de baixa resolução. Isso se deve ao fato de grande parte das câmeras analógicas tradicionais possuírem um sistema de escaneamento entrelaçado, que gera um borrão no monitoramento de objetos em movimento. Dessa forma, é indiscutível que a qualidade de imagem das câmeras digitais é muito superior às analógicas. As chamadas câmeras IP gravam imagens em alta definição, podendo chegar à 4k e atingir uma resolução de até 2592 x 1944. Elas também permitem recursos como reconhecimento de rostos, de objetos, além de zoom sem perda de qualidade, edição de imagens, etc. Sendo assim, os sistemas digitais são recomendados para quem busca um serviço de videomonitoramento que valorize a atenção aos detalhes.

  1. Dificuldade de uso

Em um circuito interno de TV analógico você só tem acesso à imagem em seu monitor, justamente por ser um circuito fechado. Para acessar o histórico de imagens será necessário procurar o registro no HD responsável pelo armazenamento das imagens e para isso você precisaria se dirigir ao local para acessar o arquivo. Com o Sistema Digital é possível acessar as imagens de forma rápida e segura de qualquer lugar, navegar pelo histórico de imagens e também fazer pesquisas avançadas por pessoas ou objetos, por exemplo. Além disso, você também consegue salvar, compartilhar e exportar imagens em segundos através de link direto, sem necessidade de nenhum software adicional.

  1. Falta de segurança

Como se sabe, nos sistemas analógicos o HD fica exposto a diversos problemas como furto, falta de manutenção, risco de ataques por hackers pela abertura de porta no roteador, além do risco de perda das imagens. O Sistema Digital diminuiu a alta vulnerabilidade do NVR/DVR e ainda proporcionou atualizações automáticas de segurança que protegem os dados contra diversos tipos de ameaças, sendo um sistema bem mais seguro para a proteção do seu estabelecimento e também dos seus dados.

  1. Armazenamento na memória interna

Quem nunca sofreu com falta de espaço no HD que atire a primeira pedra. Os circuitos analógicos precisam de um HD físico e por isso limitado para o armazenamento das imagens.

O armazenamento em nuvem permite a eliminação dos NVRs/ DVRs ou qualquer outro gravador de vídeo. A gravação na nuvem minimiza falhas na gravação e no armazenamento, além de oferecer mais segurança e conveniência no acesso aos usuários. Sem contar que as imagens ficam arquivadas de forma ilimitada, sendo possível navegar tranquilamente pelo histórico de imagens sem se preocupar com falta de espaço.

Sua empresa precisa de um sistema digital

Com os problemas de segurança vividos no país é fundamental considerar um serviço de vigilância para o seu negócio. Entretanto, tenha cuidado. Pois ainda é um mercado extremamente tradicional e com pouca inovação. Mas as câmeras inteligentes vieram justamente pra sacudir essa indústria e mostrar que a análise inteligente de vídeo é a grande tendência da segurança mundial. Portanto, nada de CCTV quando você tem um mundo novo esperando por você. 

Saiba mais sobre as Câmeras Inteligentes da Gabriel e como queremos revolucionar o mercado da segurança com tecnologia, simplicidade e proteção dos seus dados.

Sistemas de câmeras de segurança na nuvem são seguros?

Atualmente, os sistemas de câmeras de segurança na nuvem são os mais modernos do mercado. Mas a pergunta que fica é: eles são realmente seguros?

Para responder a essa pergunta, primeiro precisamos falar sobre Cloud Computing ou computação em nuvem. A tecnologia que permite o uso remoto de recursos da computação através da internet e que só vem ganhando mais e mais adeptos nos últimos anos. Sem perceber, tudo hoje em dia já parece acontecer por lá. Basta olhar para o nosso dia a dia. Quem ainda não está na “nuvem” parece ter ficado no passado.

Mas ainda hoje, há quem se preocupe em migrar para a nuvem por questões de segurança. Então confira a seguir nosso artigo e descubra você mesmo se o armazenamento em nuvem é ou não seguro.

Principais vantagens da Computação em Nuvem

E se todos os arquivos da sua empresa fossem armazenados em uma rede gigantesca com todos os recursos para você acessá-los quando quiser por meio de um dispositivo conectado à Internet? E se além da facilidade de acesso você pudesse contar com uma maior segurança dos dados? Essas são as principais mudanças que a computação em nuvem proporciona para os sistemas de câmeras de segurança em nuvem. 

A tecnologia permitiu uma maior disponibilidade dos dados, que podem ser acessados a qualquer momento. O controle ao acesso de informações também pode ser facilitado e hoje gera maior segurança para os usuários por meio de login e senha. E por falar em segurança, as informações armazenadas são todas criptografadas, garantindo assim a tão esperada proteção dos dados.

Os dados em nuvem são gravados em um data center, que é um espaço composto por diversos servidores que separam todos os arquivos em partes. Tudo é salvo em diretórios e/ou servidores diferentes, mas nenhum documento pode ser acessado por partes. Isso quer dizer que o risco de perdas é mínimo e o acesso por alguém estranho também.

Segurança analógica no sistema de vídeo tradicional

Nos sistemas de vigilância tradicionais, as gravações das câmeras ficam armazenadas em um dispositivo chamado NVR (Network Video Recorder) ou DVR (Digital Video Recorder), que fica fisicamente conectado às câmeras. Em tese, um sistema NVR seria a opção mais segura. Mas será que é mesmo? 

Depender de um espaço de armazenamento no HD e ficar limitado a acessar seus arquivos através de um único dispositivo não parece uma opção tão segura e viável assim. O HD normalmente é bem grande de tamanho e fica exposto a diversos problemas, como falta de espaço de armazenamento, possibilidades de furto, ataque de hackers e ausência de manutenção preventiva.

De acordo com o Relatório de Ameaças à Segurança na Internet da Symantec, os DVRs são classificados em segundo lugar na lista de dispositivos vulneráveis ​​envolvidos nos ataques cibernéticos, mais um motivo para questionar como suas imagens são armazenadas e se o seu serviço de segurança é realmente seguro.

Sistema de câmeras de segurança em nuvem

Com o sistema de câmeras de segurança em nuvem você não precisa mais se preocupar com a falta de espaço de armazenamento no HD. Os serviços de câmera atuais contam com um nanocomputador integrado em uma única placa, o Raspberry Pi, que transmite as imagens de forma segura e criptografada para a nuvem.

O único ponto que você precisa garantir é não abrir porta em seu roteador e assim não deixar sua rede vulnerável para o acesso de terceiros. Mas os serviços de segurança com armazenamento em nuvem, que prezam pela segurança dos dados dos clientes, garantem as melhores práticas nesse tipo de configuração.

A tecnologia permite então uma nova vigilância para o seu negócio. O recurso possibilita a instalação facilitada de atualizações de hardware e software, menor risco de ataques físicos e cibernéticos, tempo de reação mais rápido e possibilidade de introdução de recursos de segurança adicionais, como autenticação de dois fatores e login único. 

Com a facilidade do armazenamento e segurança em nuvem, você e seus colaboradores podem acessar todas as imagens de forma fácil e segura através de qualquer dispositivo conectado à Internet. 

Dessa forma, a alta tecnologia das câmeras de segurança em nuvem está provando ser a opção mais fácil, segura e eficaz para o videomonitoramento de estabelecimentos comerciais e prédios residenciais. 

E você, ainda acha que dá pra confiar na segurança dos sistemas tradicionais de vigilância? Está mais do que na hora de aposentar o seu NVR / DVR.

Saiba mais sobre a Gabriel, a startup de tecnologia que chega ao mercado para redesenhar o serviço de segurança com inovação e inteligência. E o melhor de tudo? Ainda cabe no seu bolso.

Até a próxima!

Como encontrar o serviço de câmera de segurança ideal para o meu negócio?

Encontrar o serviço de câmera de segurança ideal para o seu negócio não é uma tarefa fácil. São muitas as opções disponíveis no mercado. Mas os serviços de câmeras inteligentes chegam para tirar os sistemas tradicionais da zona de conforto. O sistema tradicional até então analógico, pesado e caro de ser mantido, precisará se reinventar. A tecnologia é o caminho quando vemos que cada vez mais as câmeras deixam de ser um recurso apenas de segurança e começam a desempenhar um papel estratégico no mundo dos negócios.

Estima-se que existam milhões de câmeras espalhadas pelo mundo, mas a maioria ainda não é usada em um sistema inteligente. Segundo relatório da IHS Markit, o número de câmeras usadas para vigilância será superior a 1 bilhão até o final de 2021, o que mostra que é um mercado em expansão e que quem usar a tecnologia a favor do serviço poderá liderar a tão desejada modernização da indústria.

Confira a seguir algumas dicas do que levar em conta na hora de pesquisar por serviços de câmeras de segurança. Entender as possibilidades é fundamental para uma escolha inteligente e saber como a tecnologia contribui para serviços de vigilância mais simples e inovadores, pode ser benéfico para o seu bolso.

Dê preferência às câmeras IP

Basicamente existem dois tipos de câmeras comumente utilizados em serviços de segurança: as câmeras digitais e as analógicas. Dentre os modelos digitais, as câmeras IP representam o que há de melhor em termos de tecnologia atualmente e por isso é tão importante considerá-las na hora de escolher o serviço para proteger o seu negócio.

As câmeras IP já têm uma placa de rede interna e por isso também são conhecidas como câmeras de rede. Com isso, é possível que elas se conectem à internet automaticamente, reduzindo os problemas de transmissão de imagem e sendo possível acompanhar cada detalhe do espaço monitorado. Esse tipo de câmera também é indicado para quem deseja um serviço de vigilância com melhores imagens, uma vez que são câmeras de alta resolução. Outro ponto importante é que câmeras instaladas em áreas externas precisam ser mais resistentes às condições climáticas.

Use a Inteligência Artificial como aliada

A tecnologia é constantemente aprimorada para simplificar processos e na área de segurança não poderia ser diferente. Os avanços permitiram que as câmeras capturem imagens em alta definição e assim facilitem o monitoramento dos negócios.

As câmeras inteligentes com capacidade de processamento podem identificar pessoas e também objetos. E assim, trazem uma grande oportunidade para elevar o nível de entrega dos serviços de segurança. Com a inteligência artificial é possível detectar movimentos fora do padrão, as anomalias, e com isso notificar o cliente sobre uma possível atividade suspeita.  

Dessa forma, a inteligência artificial permite que as empresas de vigilância ofereçam um serviço proativo, que tente prever ou evitar situações de risco para o negócio, sendo possível agir de forma rápida e eficiente. Com isso, o serviço de câmeras inteligentes têm cada vez mais se mostrado como um substituto dos velhos serviços de alarme, sendo bem mais completo e vantajoso para o cliente.

Opte pelo armazenamento de dados em nuvem (diga adeus ao NVR / DVR)

O armazenamento das imagens é primordial para qualquer sistema de vigilância. Com as câmeras inteligentes você não precisa mais se preocupar com espaço de armazenamento no HD, pois tudo que você precisa fica acessível e seguro na nuvem. As imagens podem ser acessadas na hora que você quiser e geralmente permitem acessos simultâneos.

Nos serviços de câmera de segurança tradicionais (mais antigos), as gravações geralmente são armazenadas em um dispositivo de gravação de vídeo chamado NVR (Network Video Recorder) ou DVR (Digital Video Recorder), que fica fisicamente conectado às câmeras. Esse HD normalmente fica exposto a diversos problemas, como furto, falta de espaço e falta de manutenção. Fora o tamanho do aparelho, que costuma ocupar bastante espaço no estabelecimento. Além do risco de perda das gravações, ainda existe uma dificuldade de acesso às imagens geradas. 

Os serviços de câmera mais inovadores já oferecem a substituição do NVR / DVR por um nanocomputador integrado em uma única placa, conhecido como Raspberry Pi (menor que um celular). Com o Raspberry Pi é possível transmitir as imagens de forma segura e criptografada para serem armazenadas na nuvem.

Com a facilidade do armazenamento em nuvem, as empresas conseguem dar acesso às imagens de forma fácil e segura, atendendo assim às necessidades de segurança do negócio.

Tenha atenção ao local de instalação da sua câmera de segurança

Para que a câmera de segurança funcione com toda sua eficácia, seu local de instalação deve ser bem estudado. Para isso é importante a realização de uma visita técnica antes do dia da implementação para levantar possíveis problemas e gerar uma planta do local. 

O posicionamento da câmera deve ser feito onde se tem a melhor visão do espaço a ser monitorado, maximizando a capacidade das câmeras na área instalada e sem deixar pontos cegos. Importante considerar também um local de fácil acesso para a passagem da fiação, além de uma internet de no mínimo 15MB no estabelecimento. E para agendar o melhor horário para a instalação importante considerar um momento com menos movimento no local.

Fique atento aos custos e valorize quem realmente oferece monitoramento 24 horas

Não importa o tamanho do seu negócio, é imprescindível que você separe uma verba para proteger seu estabelecimento. Mas é importante ter ciência que os serviços de vigilância tradicionais normalmente cobram taxas altas de adesão, instalação e manutenção. E isso pode realmente pesar no seu orçamento.

Uma dica é pesquisar empresas de vigilância que têm a tecnologia como core business, pois estas normalmente conseguem simplificar esses custos e ainda oferecem uma melhor experiência de uso, com um serviço mais simples e inovador para o seu negócio. Também é importante olhar para quem de fato oferece monitoramento 24 horas, pois isso é o que vai realmente fazer a diferença na proteção do seu estabelecimento.

Seguindo esses passos vai ficar mais fácil fazer uma boa escolha na hora de proteger o seu negócio. E nós da Gabriel queremos que a segurança se torne cada vez mais acessível ao maior número de pessoas. Saiba mais sobre o nosso serviço de câmera de vigilância aqui!

Esperamos que esse primeiro artigo tenha sido útil para você. 

Continue acompanhando nosso blog, pois publicaremos cada vez mais conteúdos por aqui. 

Até mais!